A visita a Porto Rico desta terça-feira durou pouco mais do que 5 horas mas Donald Trump não passou despercebido (nem tentou). Um dos objetivos da visita era ajudar a distribuir mantimentos às vítimas do furacão Maria, que já fez 34 mortos no país. Mas é a forma como o fez que está a gerar polémica: o presidente norte-americano atirou alguns desses mantimentos pelo ar.

Começou por pegar em latas de frango que havia para distribuir e mostrá-las à multidão que aguardava pela distribuição dos mantimentos. Fez o mesmo com lanternas e outros objetos. Ao mesmo tempo, cumprimentava as vítimas que ali se encontravam, entregava-lhes mantimentos e até chegou a tirar uma selfie. Depois disso, pegou nos rolos de papel de cozinha e, como se fossem bolas de basquetebol, começou a atirá-los ao ar em direção às vítimas.

Há muito amor nesta sala. Ótimas pessoas”, disse Donald Trump enquanto atirava os rolos de papel.

Alguns desses rolos papel chegaram às mãos das vítimas, outros nem tanto e acabaram por cair no chão. É que muitas das pessoas que se encontravam na igreja evangélica de San Juan, capital de Porto Rico, à espera que fossem distribuídos os mantimentos, estavam distraídas a registar o momento com os seus telemóveis.

As reações não tardaram a surgir na internet. Uns questionaram-se acerca da atitude de Donald Trump e compararam-na com as de outros presidentes norte-americanos em situações de catástrofe.

Outros utilizadores das redes sociais viram a atitude de Donald Trump como um pretexto e uma inspiração para memes e puseram o hashtag #TrumpPuertoRico nos assuntos mundiais.

A visita de Donald Trump a Porto Rico acontece na sequência de uma troca de acusações entre o presidente norte-americano e a presidente da Câmara de San Juan. Em causa estão as críticas que Carmen Yulín Cruz fez à burocracia da Agência Federal de Gestão de Emergências e à atuação de Washington no rescaldo do furacão Maria: “Se está alguém a ouvir-nos, estamos a morrer. E estão-nos a matar com a ineficiência e com a burocracia”, disse a autarca.

Foi através do Twitter que Donald Trump respondeu à autarca, acusando-a de “fraca liderança”. “Querem tudo feito por eles quando deveria ser um esforço comunitário. [Estão] 10 mil funcionários federais na ilha a fazer um trabalho fantástico”, disse num dos tweets.