As autoridades russas levantaram hoje a interdição de entrar no país para o Mundial2018 de futebol, que tinha sido imposta ao jornalista alemão Hajo Seppelt, responsável por revelar o escândalo de doping generalizado na Rússia.





"Fomos informados pelas autoridades russas que Hajo Seppelt [jornalista do canal regional publico alemão ARD] vai poder permanecer na Rússia durante o Mundial2018", informou o ministro alemão da Justiça, Heiko Maas, na sua rede social Twitter.




O jornalista Hajo Seppelt, autor das revelações sobre o escândalo de doping generalizado na Rússia, tinha visto recusado o acesso ao país por ocasião do Mundial2018, pelo seu nome integrar uma lista de "pessoas indesejáveis" na Rússia.


Berlim protestou veemente contra a interdição imposta ao jornalista e apelou ao presidente Vladimir Putin da decisão, considerando que as autoridades russas estavam a cometer um sério atentado à liberdade de imprensa e de opinião.


A Alemanha tinha também recorrido à FIFA, entidade que emitiu a acreditação do jornalista, da interdição imposta a Hajo Seppelt pelas autoridades russas, que lhe negaram o visto de permanência no país.


Na sequência da emissão em 2014 do documentário de Hajo Seppelt "Doping confidencial: como a Rússia fabrica vencedores", a Agência Mundial Antidopagem (AMA) decidiu criar uma primeira comissão de inquérito.





O campeonato do mundo de futebol da Rússia disputa-se entre 14 de junho e 15 de julho.



nm