A Procuradoria Geral da República (PGR) confirmou ao Notícias ao Minuto que estão a decorrer buscas na sequência do inquérito aberto sobre o alegado esquema de corrupção no andebol do Sporting na época passada e, conforme avança a RTP 3, há já quatro detidos nas buscas feitas na SAD do clube.




"Ao abrigo do disposto no art.º 86.º, n.º 13, al. b) do Código de Processo Penal, confirma-se a realização de buscas no âmbito de inquérito dirigido pelo Ministério Público do DIAP do Porto", confirmou o Ministério Público. Uma informação que já havia sido avançada pelo Notícias ao Minuto durante a manhã desta quarta-feira.





A TVI avança que as suspeitas que motivaram as buscas desta manhã estão também relacionadas com o campeonato de futebol.


No andebol, em causa está, recorde-se, um alegado esquema de corrupção denunciado ontem pelo Correio da Manhã (CM), que terá passado pela suposta compra de equipas de arbitragem que participavam nos jogos de andebol profissional.


Os juízes de campo terão sido aliciados com quantias em dinheiro, que chegariam aos dois mil euros, para que, 16 anos após o último título, a equipa de Alvalade chegasse novamente ao topo da classificação.


De acordo com a edição de terça-feira do referido jornal, Paulo Silva, intermediário dos 'leões', que agora se diz arrependido, afirma que os pagamentos aos árbitros eram realizados não só nos jogos em que a equipa sportinguista jogava, mas também naqueles em que o resultado favorecesse o Sporting.


A Federação Portuguesa de Andebol reagiu, em comunicado, mostrando-se "disponível para colaborar com as entidades competentes", anunciando ainda que irá avançar com uma “denúncia obrigatória ao Ministério Público”, assim como com uma participação “ao Conselho de Disciplina”.


Também o Sporting se pronunciou ontem, repudiando, por sua vez, o que diz ser uma campanha que "visa exclusivamente denegrir a imagem" do clube. "O Sporting é um alvo a abater porque é o único clube que, genuinamente, continua a lutar e a querer transparência e verdade desportiva em Portugal”, pode ler-se na nota que emitida pelo emblema leonino.



Este alegado esquema de corrupção vem à tona numa altura que o clube leonino enfrenta uma nova crise, tendo-se vivido ontem um dia negro em Alcochete na sequência de agressões por parte de um grupo de adeptos do Sporting a jogadores e equipa técnica, isto depois de a equipa de futebol ter falhado o segundo lugar do campeonato e, consequentemente, a possibilidade de jogar na Liga dos Campeões.




nm